Pular para o conteúdo principal

Canário Negro - DC You | Breves Reviews


Nos Breves Reviews de hoje, vou falar sobre a Canário Negro do DC You (aquela iniciativa da DC de lançar umas paradas meio fora da curva pra aproximar os leitores da editora). Ambos os álbuns são escritos por Brenden Fletcher e ilustrados por Pia Guerra, Annie Wu, Sandy Jarrell e Moritat.

Sendo assim, vamos comentar os dois títulos.



Eu estava ansioso por essa fase da Canário e vou dizer que o primeiro volume "O Som e A Fúria" é muito bom. Dinah é caótica, problemática e um desastre ambulante… E ela vai trazer tudo isso pra sua banda em uma aventura divertida com arte fenomenal da Annie Wu e Pia Guerra.

Devo confessar que não consigo deixar de sentir saudades do Oliver Queen nas histórias da heroína, contudo entendo que essas mudanças devem acontecer de vez em quando, tanto para a personagem deixar de estar sempre à sobra do arqueiro quanto para ver se algo novo pega entre o público.

No mais, o encadernado conta com a história de Dinah em sua nova banda, rodando os Estados Unidos e dividindo o tempo entre ser uma estrela do rock e uma garota-problema que arruma confusão em todo lugar que passa. Adorei de verdade esse primeiro volume.



Quando um bróder disse que esse segundo volume era bem fraquinho, eu torci o nariz e fiz questão de xingá-lo mentalmente dizendo "você não sabe o que diz, rapaz", porém quando terminei de ler Rock'n'Roll... Tive que concordar com ele.

Tá, eu poderia dizer que esse encadernado é uma bomba completa, mas tem algumas coisas que salvam, como por exemplo: Eu gostei do momento em que a Dinah tá "sonhando", pois foi bem interessante e divertido vê-la envelhecendo. Me lembrou uma série de TV chamada The 4400 onde um casal de personagens envelhecem mentalmente e quando voltam à realidade eles se negam a se desfazer de suas memórias, tornando-as verdadeiras, mesmo que não tivessem acontecido no mundo real.

Annie Wu é uma artista incrível e é um pecado ela não desenhar todas as histórias, principalmente porque a arte em geral do encadernado é sofrível.

Já os roteiros de Brenden Fletcher... Nossa mãe. É tudo do mais clichê possível com a busca de um mcguffin que é a Palma dos Cinco Céus. Conforme a trama vai se desenrolando, esse treco vai ganhando poder tão grande que comecei a me perguntar porque logo a Canário Negro poderia ter acesso a algo tão poderoso.

O encadernado conclui a trama e desemboca em duas histórias só pra encher linguiça e páginas. Meio deprimente, mas acredito que não vou me desfazer dele por causa da arte da Annie Wu.

Postagens mais visitadas deste blog

Você Precisa Ler Gavião Arqueiro Agora! | Opinião

Vou ser direto aqui: Você PRECISA ler Gavião Arqueiro!

Esses encadernados são incríveis. Ponto! Não discorde comigo, bróder. Só existe uma maneira de você não aceitar minha constatação e isso significa que você ainda não os leu. Com o lançamento de Pequenos Acertos, resolvi escrever esse texto pra te convencer a ler essa história. Eu vou tentar te dar alguns motivos aqui, porém talvez eu não consiga descrever a beleza e diversão que é essa série.



- Matt Fraction
Sendo honesto, eu não conhecia o Fraction. Nunca li nada desse roteirista, então ele assinar a fase do Gavião não era um ponto atrativo. Eu comprei o encadernado na melhor mescla de "estou na banca e achei que isso poderia ser interessante" somado com "não tem nada legal pra levar, vou levar essa bosta mesmo". No entanto, meu irmão, eu vou te contar que esse cara virou uma lenda imediata pra mim. O Matt me conquistou logo na primeira página quando ele descreve "Tá legal... Isso parece ruim". Juro! U…

Super Herói Favorito | Lista

Qual seu super herói favorito?

O meu é o Superman.

Você deve ter torcido o nariz, feito aquela cara de nojo como aquela que as pessoas fazem quando digo que gosto de sanduíche de geleia de amora com requeijão. Talvez tenha pensado que seu super favorito seja alguém mais descolado, mais irreverente... Mais sombrio. Segundo as estatísticas cedidas a mim pelo IBGE, 89% das pessoas que foram assistir Bátema v Superomi estavam torcendo pelo homem morcego. Sendo assim, eu me sinto no dever de justificar porque eu amo o azulão.



Tá, claro que eu amo o Clark Crente pela sua bondade. Se eu pudesse escolher um super herói pra sair das páginas e se tornar realidade, eu escolheria ele. Mas além da sua bondade, o Super tem outro ponto positivo para mim: ele é quase um deus! Nem sempre foi assim, mas vira e mexe o nosso amigão do pega rapaz tá com histórias em que seu poder tá tão intenso que nada parece ser um desafio pra ele.

E é aí que eu me empolgo!


Histórias de super heróis são, salvo exceções,…

DC Quer Acertar O Tom do Superman | Cinema

Talvez eu seja suspeito pra escrever esse texto, pois eu claramente acho que a Warner acertou o tom do nosso ex-usador de cueca por cima da calça em Homem de Aço e Batman v Superman, no entanto eu vou comentar aqui porque a DC vai ter MUITAS dificuldades em acertar a vibe dos próximos filmes do Escoteirão.



Fazem algumas décadas que a editora tenta acertar o tom do Superman nos quadrinhos. Quase sempre, sem sucesso. Revista após revista, você vê o Super sendo reformulado, mudando de poderes,  comportamento, sendo alvo de jogadas publicitárias pra vender alguma coisa (eu tô falando de você, Morte do Superman), então acertar as histórias do Azulão não é algo fácil. Imagina-se que acertar isso no cinema também seja complicado (quase tão complicado quanto comprar a quantidade de quadrinhos que saem em bancas todo mês), mas condenar os filmes anteriores como "isso não é o Superman de verdade" é bem idiota, não acha?



Fazer filmes do último filho de Kripton* é dificílimo porquê faz…