Pular para o conteúdo principal

Luke Cage - Netflix | Série de TV


Eu começo essa resenha já dizendo que a se a série teve algum mérito é que me viciou em uma música que deve ser a parada mais foda que já ouvi nos últimos anos, então pode acreditar que estou escrevendo esse texto ouvindo repetidamente essa canção.

Luke Cage, incrivelmente era a única transposição de quadrinhos para tela que eu esperava alguma fidelidade aos gibis, não em enredo, mas sim em atmosfera. As histórias do Powerman tinham uma cultura negra muito forte, daquelas que gente aqui no Brasil não entende muito, porém nos EUA é tão poderosa que se vê uma clara distinção entre "programas de branco" e "programas de negros", sendo assim nesse ponto a nova série do Netflix me decepcionou.



A cultura negra no show é bem marginalizada (ba dum tss), sendo incorporada apenas nas apresentações musicais em Harlem's Paradise ou quando um personagem cita que deve proteger "os negros de Harlem". Simplesmente assim! Do nada, pois não é apresentado nenhum tipo de demérito em ser negro no programa. Não tem uma exploração racial, preconceito ou sequer existe gente passando fome ou esquecida pelo governo. Harlem é um bairro normal habitado majoritariamente por negros, apenas isso.

De todas as séries da Marvel criadas pela Netflix, essa é a mais fraca sem dúvida. Ela tem um péssimo ritmo com narrativas bem longas e cansativas. Fazer maratona dela pra muita gente foi sofrido pois os episódios eram muito carregados. A dosagem entre texto/ação foi bem mal feita sem contar que a pancadaria era muito simples, com bandidos metralhando o negão e ele andando linda e bela enquanto as balas apenas esburacam seu moletom. (um parênteses aqui é que quando eu era criança e furava uma camisa, mamãe jrol me perguntava se eu tinha ido à guerra. Queria saber se a mãe do Cage perguntaria a mesma coisa ao ver o moletom perfurado de azeitonas).



A trama tava boa até metade da temporada, sendo o vilão Boca de Algodão uma figura bem carismática e conduzindo o arco sozinho até ali. Nem o próprio Luke Cage me prendeu durante essa temporada como o Cornell Stokes, por isso mesmo faz sentido a série ter pedido o rumo quando o algodãozinho morreu. Vale colocar aqui uma coisa interessante que foi a mudança de narrativa nessa produção. Normalmente eu vejo o vilão super poderoso de alguma maneira e o herói tentando achar maneiras de vencê-lo, contudo aqui era exatamente o contrário: Luke era a força destrutiva e Cornell estava sempre encurralado pensando em como derrotá-lo.

Uma oportunidade ali foi perdida de dar uma grande diferenciada. Em certos momentos eu estava sim torcendo para o Stokes, pois era tão óbvia a vitória do Cage que eu tava acreditando que a série ia me mostrar algo novo e diferente, como o momento em que Cornell dá uma virada de jogo e consegue se sobrepor a um adversário notóriamente superior. Infelizmente isso não aconteceu e o criminoso morre pelas mãos da sua prima o que foi a pior coisa que aconteceu, gerando uma cadeia de eventos horríveis.



Depois disso surge Kid Cascavel com sua vingança tirada da bunda (até então a gente não tem nenhuma menção a isso e de repente o cara tá obcecado em matar o pegador de Jessica Jones a ponto de fazer isso no meio da rua mesmo). A Miriah parece ascender para o posto de Senhora do Crime e eu achei que "o bicho ia pegar", contudo ela se mostra ainda pior que seu antecessor com a "ajuda" inútil do ex-companheiro do Cornell. E assim vai metade da temporada com Kid Cascavel lunático matando geral e perseguindo o Luke; Mariah e Shades fazem nada direito e no ultimo episódio tempos a briga final mais sem graça do mundo no meio da rua contra o vilão vestido de técnico de TV a cabo...



Ainda assim eu não achei a série um lixo total. Só achei que podia ser muito melhor... Ou menor.

Postagens mais visitadas deste blog

DC Quer Acertar O Tom do Superman | Cinema

Talvez eu seja suspeito pra escrever esse texto, pois eu claramente acho que a Warner acertou o tom do nosso ex-usador de cueca por cima da calça em Homem de Aço e Batman v Superman, no entanto eu vou comentar aqui porque a DC vai ter MUITAS dificuldades em acertar a vibe dos próximos filmes do Escoteirão.



Fazem algumas décadas que a editora tenta acertar o tom do Superman nos quadrinhos. Quase sempre, sem sucesso. Revista após revista, você vê o Super sendo reformulado, mudando de poderes,  comportamento, sendo alvo de jogadas publicitárias pra vender alguma coisa (eu tô falando de você, Morte do Superman), então acertar as histórias do Azulão não é algo fácil. Imagina-se que acertar isso no cinema também seja complicado (quase tão complicado quanto comprar a quantidade de quadrinhos que saem em bancas todo mês), mas condenar os filmes anteriores como "isso não é o Superman de verdade" é bem idiota, não acha?



Fazer filmes do último filho de Kripton* é dificílimo porquê faz…

Super Herói Favorito | Lista

Qual seu super herói favorito?

O meu é o Superman.

Você deve ter torcido o nariz, feito aquela cara de nojo como aquela que as pessoas fazem quando digo que gosto de sanduíche de geleia de amora com requeijão. Talvez tenha pensado que seu super favorito seja alguém mais descolado, mais irreverente... Mais sombrio. Segundo as estatísticas cedidas a mim pelo IBGE, 89% das pessoas que foram assistir Bátema v Superomi estavam torcendo pelo homem morcego. Sendo assim, eu me sinto no dever de justificar porque eu amo o azulão.



Tá, claro que eu amo o Clark Crente pela sua bondade. Se eu pudesse escolher um super herói pra sair das páginas e se tornar realidade, eu escolheria ele. Mas além da sua bondade, o Super tem outro ponto positivo para mim: ele é quase um deus! Nem sempre foi assim, mas vira e mexe o nosso amigão do pega rapaz tá com histórias em que seu poder tá tão intenso que nada parece ser um desafio pra ele.

E é aí que eu me empolgo!


Histórias de super heróis são, salvo exceções,…

Batman vs Superman Versão Definitiva | Cinema

Começo dizendo que o texto deve ter bastante spoilers sobre esse filme que deu muito pano pra manga. Seja você uma pessoa que curtiu ou não, certamente gastou muito do seu pouco tempo de vida aqui na Terra pra debater esse longa, e como eu não poderia ser diferente, estou aqui, diminuindo o tempo que eu poderia usar pra passar com meus familiares e pessoas que amo pra defender um filme com atores com roupas coladinhas.

Eu faço parte da galera que amou o filme. Perceba que eu não escrevi "gostou", do verbo "achei legal, mas vou esquecer daqui a uns meses". Eu AMEI o filme! Do tipo que reassisti a versão definitiva 3 vezes já (e olha que eu a comprei numa quinta e escrevo esse texto na segunda).



BvS acerta em cheio um dos maiores questionamentos do Super: o mundo precisa realmente dele? É fácil responder isso quando super vilões brotam de uma panela de pipoca radioativa, mas e quando o motivo da maior tragédia é você mesmo? E se outros vilões surgirem por sua causa?…